Pular para o conteúdo principal

Se não puder se moldar, o fracasso é inevitável

 Num dia desses, conversando sobre a vida e as tantas certezas que temos a nosso respeito e me deparei com A Roda da Fortuna - arcano maior número X - e seus desdobramentos. 

A Roda é um arcano que lembra quem se consulta que a vida é cíclica e que as vezes se está por cima, as vezes por baixo (isso é bastante clichê eu sei, mas não seria a vida um grande clichê?) e que quem não se adapta roda! - piada pronta

Em minha observação percebi que há momentos em que nos munimos e nos fechamos na nossa própria verdade e realidade, construindo um castelo de realidade que ignora o que se passa mundo afora e principalmente o há dentro. Eventualmente, quase sempre, os problemas internos são causado por situações de fora, uma infiltração por exemplo - e aqui estou usando todo meu repertório metafórico pra falar de trauma. Até chegar a gota d'água! Quando alguma coisa nos atravessa de tal forma que nosso castelinho de verdades verdadeiras e imutáveis cai - A Torre -, nos sobra apenas escombros, dores e a necessidade de pegar tudo aquilo e transformar em algo novo e menos isolado da realidade.

A Torre é o arcano do insustentável, das situações, muitas vezes dolorosas, que mantemos por acreditar que terminar será mais doloroso do que manter - alow relacionamentos abusivos e tóxicos- e seu efeito é devastador não apenas no campo emocional. A Torre é quando percebemos o sintoma de alguma doença e fingimos que não existe, é só uma dor, depois é só uma febre e de repente é Olavo de Carvalho. E pra não chegar á esse ponte terrível tem que se adaptar e se cuidar, reavaliar sempre a que pé andam a suas coisas.

Obviamente que cada um tem uma forma de lidar com seus incômodos e também há aqueles que não lidam, apenas recalcam, recalcam, sorriem e acenam e seguem arcano por arcano em direção à Torre. O que me conforta é que nem tudo é fatídico ou inevitável e quando sabemos lidar bem com A Roda da Fortuna podemos pular direto prA Lua, que nos dá uma passagem só de ida direto pro inconsciente - o que pode ser bastante desagradável mas, muito necessário -, e aprender com tudo que estava dentro do castelo e se perdeu.


.

.

.

Postagens mais visitadas deste blog

Todos querem um dez de copas mas, poucos estão dispostos a encarar a caminhada até o dez de ouros…

Dez de ouros e copas Modern Witch Tarot             Falando de tarô, principalmente os arcanos menores, temos uma jornada que não tem um caminho linear mas, que faz muito sentido quando analisamos número + elemento. Esse texto escrito no dia dos namorados é pra falar de relacionamentos, de amor e sentimentos.            O número 10 é a finalização de um naipe (ouros, espadas, copas e paus) então os assuntos tratados por aquele elemento (terra, ar, água e fogo - respectivamente) estão em seu ápice e a consulente pode passar para o próximo tema porque já amadureceu o necessário. Claro que dentro de uma consulta, tudo é muito mais complexo que isso mas, acho importante dar essa primeira explicação para que tudo fique bem claro.           Não há uma ordem exata para os naipes mas, eu gosto bastante da ordem utilizada por Nei Naiff - ouros, espadas, copas, e paus , ele nomeia como: ter, ser, estar e ficar , faz bastante sentido quando observamos os elementos ligados aos naipes.             

Uma hora os louros chegam

Tenho trabalhado o reconhecimento na terapia. Não é fácil, na verdade, reconhecer os meus méritos e meus merecimentos é uma tarefa bastante difícil. Vou subindo um degrau e descendo dois, ainda assim tem sido uma subida.  Hoje pela manhã me lembrei do seis de paus e seu simbolismo: o Louro da vitória, o reconhecimento dos outros - o tarô de Waite remete também a entrada triunfal de Jesus em Jerusalém no domingo de ramos, a gente sabe que ele ainda vai se f* bastante até subir aos céus, mas pelo menos, por aquele momento foi reconhecido.  O seis de paus de um modo mais pessoal me lembra que tudo que colho hoje, a paz de espírito, a tranquilidade, saúde mental, amor, foi plantado há muito tempo, décadas. E reconhecer que eu trabalhei duro pra isso ainda é difícil, eu tenho uma péssima tendência a me diminuir, a relativizar meus esforços, meus talentos, como se eu devesse de alguma forma caber na caixinha medíocre de vida da maioria das pessoas, como se eu devesse ser menos pra ser igual

Conselho da Semana de 26 de Junho à 02 de Julho de 2023

O cavaleiro de copas. Um tanto infantil e enganado (tadinho). Há boa vontade, há um coração gentil e amoroso há possibilidades de vencer mas, a que preço? Será que essa vitória é tátil ou é apenas felicidade emocional do cavaleiro emocionado? Durante a semana é legal se jogar nos sonhos e aventuras, permitir-se viver intensamente tudo que aparecer - mas, sempre vale a pena lembrar que tudo tem um preço. Será uma semana de intensidades. A maior sacada desse arcano é perceber a tenuidade entre a boa  e a má entrega é saber fazer as ponderações (ponderamentos?) necessários para não se ferrar tanto. É algo inerente aos cavaleiros serem um tanto imaturos - cada qual em seu elemento - tendem a não pensar muito bem antes de agir e, o Cavaleiro de copas não é bom em agir, ele é bom em fantasiar, é bom em criar expectativas irreais acerca das situações. Não crie expectativas, principalmente sobre as atitudes das pessoas, ninguém te deve nada e, se por acaso dever cobre de maneira clara! evite e